Projetos

Mapeamento dos serviços culturais associados aos agroecossistemas na Beira interior

Os serviços culturais estão profundamente ligados aos agroecossistemas e à história milenar de gestão humana. As manifestações culturais da ligação entre a sociedade e as terras agrícolas são numerosas e diferem ao longo do território. Nesse sentido, no presente projeto pretende-se fornecer uma visão geral dos principais serviços culturais que os agroecossistemas abrangidos pelo Cultivar providenciam, e em particular, a sua relação com recursos genéticos endógenos selecionados.

O mapeamento destes benefícios não materiais terão por base os indicadores “SMART” baseados no sistema de classificação CICES, adequados ao contexto em estudo, nomeadamente, para a identificação e avaliação dos serviços culturais que resultam de uma interação física, intelectual, espiritual ou cultural com estes ecossistemas. 

Serão selecionados indicadores que permitam descrever o uso e outras relações estabelecidas entre as pessoas/comunidades e os agroecossistemas, como por exemplo:

      • o número visitantes em áreas predominantemente agrícolas;
      • densidade de trilhos marcados no território para caminhada; 
      • número de projetos científicos/publicações associados a este território; 
      • identificação de quintas pedagógicas e/ou feiras associadas aos Recursos Genéticos Endógenos a promover, entre outros. 

O número de produtos certificados (ex. Denominação de Origem Protegida, Identificação Geográfica Protegida) que requerem muitas vezes a gestão tradicional da paisagem podem ser também considerados, uma vez que esses produtos representam diretamente o património cultural vinculado aos agroecossistemas e, por outro, a sua comercialização apoia muitas vezes uma agricultura sustentável. 

Serviços de cariz espiritual, religioso e emblemático, exigem um conhecimento local profundo e o mapeamento detalhado das características da paisagem, serão igualmente incluídos nesta avaliação, sempre que possível. A quantificação dos agroecossistemas incluídos em áreas de conservação (por exemplo, Rede Natura 2000) poderá também ser considerado representativo dos serviços de “existência’ e ‘legado’ dos agroecossistemas considerado na tipologia CICES. 

Os paradigmas mais recentes do desenvolvimento territorial, em particular, de zonas rurais, têm vindo a valorizar as características endógenas do território e dos seus recursos naturais. Espera-se, com este projeto, contribuir para que os serviços culturais surjam como determinantes do desenvolvimento desta região, incluídos numa estratégia ativa de promoção e valorização dos recursos endógenos. 

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no nosso website. Ao navegar neste website está a concordar com a nossa política de cookies.